Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Versão para impressão Voltar Página inicial

 Notícias

20/09/2011

VIII Contraec: trabalhadores reafirmam luta contra a privatização da água e reivindicam concurso público

A oitava edição do Congresso dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Ceará (Contraec) contou com boa participação da categoria. Cerca de 150 delegados eleitos do interior e da capital, além de convidados, especialistas e lideranças políticas, estiveram presentes para debater o tema ''Os desafios da universalização do saneamento público no Ceará''. A luta contra a privatização e as PPPs, a defesa do concurso público e do acesso universal ao saneamento foram algumas das bandeiras reafirmadas pelos trabalhadores ao longo e no final do evento, durante as votações de propostas.
O evento, considerado fórum máximo deliberativo da categoria, foi conduzido pelo presidente do Sindiagua, Jadson Sarto. Na abertura, no dia 15/09, foi lido e aprovado o regimento do Congresso. Já o segundo dia foi dedicado a palestras e aos trabalhos em grupo, quando foram discutidas propostas de alterações no estatuto do Sindiagua e de ações e bandeiras para a entidade.
Durante a palestra sobre a crise econômica mundial, o professor do IFCE - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, Marcelo Marques, ressaltou que o modelo econômico concentrador americano (adotado em diversas nações) está levando o mundo ao “precipício” è à construção de uma sociedade do consumo. Para ele, a exploração do homem pelo capital está afetando os recursos naturais que são cada vez mais limitados e escassos. Ele alertou para os perigos por trás da automação na relações de trabalho, afirmando a necessidade de se refletir sobre o uso da tecnologia. Defendeu, como exemplo, que a tecnologia poderia ser benéfica para reduzir a jornada de trabalho. Segundo o professor, a crise econômica é também uma crise moral. “Em cada 10 pessoas que vivem nos Estados Unidos, seis já pensaram em suicídio. As relações entre as pessoas são afetadas”, finalizou.
Tatiane Paulino Bezerra, representante do Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB), foi a segunda palestrante. Ela fez um relato de vida de pessoas atingidas pela construção de barragens e criticou a forma como os governos conduzem a gestão das matrizes energéticas no País, o que acaba beneficiando grupos privados que são donos das empresas responsáveis pela distribuição de energia no Brasil. Segundo Tatiane, cerca de 70% das pessoas que foram atingidas pela construção das barragens moram hoje em favelas e não receberam indenização digna. “Já foram construídas mais de 2 mil barragens no Brasil que expulsaram mais de um milhão de pessoas de suas casas, com violação a direitos humanos básicos”, afirmou. Tatiane relatou que o atual potencial energético do País não justifica a necessidade de construir mais barragens no País. A integrante do MAB alertou para o perigo da privatização da água, tema que tem sido muito discutido pelo movimento.
Por fim, a advogada Tânia Nahum, falou sobre PPPs (Parcerias Público Privadas) e modelos de concessão. Tânia defendeu da importância do saneamento lembrando que a universalização do acesso à água e ao esgoto possibilitaria uma a economia de 745 milhões de reais com gastos de internações hospitalares no País. Segundo ela, hoje existem mais de 900 mil pessoas sem moradia devido a problemas ligados à falta de esgoto sanitário, completou.
Sobre as PPPs, Tânia afirmou que todos os Estados estão adotando este modelo de concessão que é uma realidade cada vez maior no País, sendo, necessária uma maior participação da sociedade na fiscalização dos contratos existentes. Diversos trabalhadores fizeram críticas ao modelo de PPPs, entre eles o presidente Jadson Sarto, que alertou para o risco de um privatização escondida por trás da presença de empresas privadas atuando no serviço de saneamento.
No último dia do Congresso, as alterações estatutárias e as propostas de diretrizes de atuação do Sindiagua foram discutidas e aprovadas pelos trabalhadores. Também foram aprovadas moções em solidariedade à greve dos professores e em defesa do concurso público e da universalização do saneamento. Em breve, o site do Sindiagua vai disponibilizar o texto das moções e das propostas aprovadas;

 

Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Versão para impressão Página inicial Voltar


Sindiagua - Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Ceará
Rua Solón Pinheiro, 745, Centro • Fortaleza/CE • CEP 60.050-040  |  Fone: (85) 3254-4097
www.igenio.com.br