Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Versão para impressão Voltar Página inicial

 Notícias

14/02/2012

Sindiagua e Cagece discutem reivindicações da categoria

Em reunião com a Diretoria de Gestão Empresarial da Cagece, realizada no último dia 18/01, o Sindiagua cobrou celeridade da empresa em resolver problemas e reivindicações dos trabalhadores que estão estagnados, sem definição, entre eles concurso público, revisão do PCR e o pagamento dos salários dos trabalhadores de Russas e de Fortim. A exemplo de reuniões passadas, promessas de solução foram apresentadas. Confira um resumo dos principais pontos discutidos na reunião.

PCR parado - O Sindiagua cobrou novamente agilidade da Cagece no início dos trabalhos de revisão do PCR. Em reunião realizada no dia 12/09, a gerente da GDHUS afirmou que encaminharia até o dia 20 de dezembro último a indicação dos nomes do grupo de trabalho responsável pela elaboração da nova proposta de plano. Nada foi feito, num claro desrespeito aos trabalhadores. ‘‘O atraso é um descumprimento do ACT e estamos avaliando isso com a assessoria jurídica”, afirma Jadson Sarto, presidente do Sindiagua. A DGE solicitou novamente os pontos do plano que incomodam os trabalhadores com o compromisso de dar uma resposta a cada um deles. O Sindiagua já enviou, por meio de ofício, os dados, mas o presidente da entidade lembrou que estas mesmas informações já são de conhecimento da empresa. “Queremos um plano de qualidade que atenda aos trabalhadores e não remendos’’, ressaltou Jadson.

Trabalhadores terceirizados têm salários reduzidos - Mais um descaso da Cagece com os trabalhadores. Um grupo de terceirizados da empresa tiveram seus salários reduzidos, após término do contrato da Companhia com a empresa privada prestadora de serviços. Um novo contrato foi feito, no entanto, com salários inferiores. Como presidente da CTB-CE, Jadson Sarto cobrou da DGE a recuperação da perda salarial. “Os trabalhadores prejudicados exercem a mesma função e os mesmos serviços do contrato anterior. Portanto, a redução do salário é ilegal”, defende Jadson. A Cagece ficou de estudar o caso e apresentar uma resposta.

Concurso público sem definições - Prazos, número de vagas, cargos.... nada está definido em relação ao prometido concurso público da Cagece. Durante a reunião com a DGE, o Sindiagua solicitou novamente à empresa informações sobre o andamento do estudo que a companhia estaria fazendo para levantar as demandas de vagas e cargos. Nenhum dado consistente foi apresentado. Segundo, o diretor da DGE, os estudos realizados pelas gerências foram concluídos, mas ainda precisam ser analisados. Enquanto isso, a Cagece continua realizando contratações de mão-de-obra terceirizada para realizar atividades-fim da empresa, contribuindo com a precarização da mão-de-obra na companhia...

O presidente do Sindiagua, Jadson Sarto, relembrou a promessa do governado assumida com os deputados estaduais Lula Morais e Paulo Facó, de que até o final da atual gestão a Cagece igualaria o número de terceirizados e de funcionários próprios. “Para honrar o compromisso assumido, o governador precisará abrir 2 mil novas vagas na Cagece. No entanto, já se passaram 5 anos de governo sem nenhuma sinalização concreta de que o concurso sairá”, alerta Jadson.

 

Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Versão para impressão Página inicial Voltar


Sindiagua - Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Ceará
Rua Solón Pinheiro, 745, Centro • Fortaleza/CE • CEP 60.050-040  |  Fone: (85) 3254-4097
www.igenio.com.br