Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Versão para impressão Voltar Página inicial

 Notícias

20/06/2012

Falta d’água em Fortaleza: acidente ou descaso?

A falta de água em Fortaleza foi assunto bastante comentado pela imprensa durante a última semana. O rompimento de uma adutora próxima ao Castelão causou a falta d'água em mais de 10 bairros da capital. O problema é recorrente. Há algumas semanas, outro vazamento também provocou falta d’água em vários bairros. Porém, estes fatos não podem ser vistos como meros incidentes. O Sindiagua já denunciou em audiências públicas, informativos e nas reuniões do conselho administrativo da empresa a grave situação em que se encontra boa parte do sistema de esgotamento e abastecimento da cidade e o modelo de gestão no setor.
Morte de trabalhador em uma obra da empresa, acidentes de trabalho, greve dos terceirizados, falta de funcionários próprios nas unidades de negócio, reclamações constantes da população por falta d’água, poluição das praias e do rio Cocó... são vários os fatores que apontam para um descaso do Estado com o saneamento público.
Boa parte das redes de tubulação de Fortaleza são velhas e se encontram assoreadas, o que aumenta consideravelmente os riscos de rompimentos, desperdícios de água e poluição. Soma-se a isso o fato de a manutenção preventiva da companhia estar bastante comprometida, tanto pela falta de trabalhadores como pelas más condições de atendimento da demanda da cidade. Nos últimos 15 anos, houve uma redução drástica no número de trabalhadores da Cagece.  O último concurso foi realizado há 10 anos.
Recentemente, a Cagece suspendeu um contrato de locação de veículos e até agora nenhuma nova licitação foi feita. Resultado: a empresa está sem utilizar mais de 100 carros, dificultando consideravelmente a capacidade de atendimento da empresa. Sem veículos, não há como os trabalhadores realizarem fiscalizações e manutenções de forma adequada e periódica. Há casos em que os trabalhadores são transportados em caminhões-jatos e vácuos, sem as condições ideais de segurança. Existem ainda - em unidades de negócio - rodízios com carros de manutenção de esgoto por falta de equipe. É um cenário que exige atenção da sociedade.

Sindiagua cobrou explicações da Cagece sobre a falta d’água
Durante a reunião que teve com a Cagece na última Terça (12/06), a diretoria do Sindiagua cobrou da empresa explicações sobre o rompimento da adutora próxima ao Castelão.  O diretor operacional da companhia disse que o caso ainda estava sendo apurado e que não poderia tecer comentários sobre o assunto. O Sindiagua vai acompanhar a evolução dos fatos e deverá se posicionar publicamente em breve sobre este incidente e os problemas de falta d’água em Fortaleza.
“O rompimento da adutora foi mais um elemento que mostra como a empresa não está preparada para lidar com situações de emergência. A companhia tem obrigação de prestar esclarecimentos à sociedade e de ter um plano de contingência para, em momentos de crise como esse, orientar a população e abastecer os serviços públicos da cidade, como hospitais e escolas”, criticou Sergio Novais, coordenador de saneamento do Sindiagua. A direção do Sindiagua alerta que a Cagece obrigatoriamente deveria ter um plano de abastecimento emergencial, que desse suporte aos serviços essenciais que não podem ser suspensos como hospitais, postos de saúde.

 

Aumentar tamanho das letras Diminuir tamanho das letras Versão para impressão Página inicial Voltar


Sindiagua - Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Ceará
Rua Solón Pinheiro, 745, Centro • Fortaleza/CE • CEP 60.050-040  |  Fone: (85) 3254-4097
www.igenio.com.br