ASSESSORIAS JURÍDICAS DA CAGECE DEIXAM TRABALHADORES E GESTORES SEM RESPOSTA

28

 

Os representantes da Cagece que participam da Mesa de Negociação Permanente (MENP) têm apresentado e buscado resolver as demandas da categoria com rapidez, porém esbarram sempre no mesmo problema: a pouca agilidade das Assessorias Jurídicas da empresa. Qualquer que seja a solicitação de parecer encaminhada às Assessorias Jurídicas, demoram as resposta. O Sindiagua quer saber da Cagece o que está acontecendo. Descaso com os trabalhadores? Faltam profissionais para conseguir atender as demandas?
Entre os processos que aguardam resposta das Assessorias Jurídicas da Cagece estão o reajuste salarial dos trabalhadores do SAAE de Russas – que foi aprovado em lei pela câmara municipal; o plano de saúde do SAAE de Itapipoca (também foi aprovado pela câmara legislativa do município); e, por fim, o processo que trata do divisor do cálculo de horas-extras dos trabalhadores da Cagece. “Todos estes processos se referem a importantes reivindicações dos trabalhadores que estão sendo prejudicados por uma demora que não tem o menor sentido. A burocracia não pode emperrar causas essenciais, já discutidas e acordadas com a empresa”, enfatiza Jadson Sarto, coordenador geral do Sindiagua.
Sarto lembra que o próprio Sindiagua, em seu Regimento Interno, tem um prazo de até 40 dias para atender e dar respostas às demandas jurídicas solicitadas como também o próprio CPC (Código do Processo Civil) que determina o cumprimento de prazos para as ações demandadas. O sindicato cobra uma resposta da Cagece dos pleitos encaminhados.
O descaso não se limita apenas aos processos de interesses de trabalhadores, mas também administrativos que atrapalham o funcionamento das unidades de serviço e unidades de negócios. Uma situação que contradiz totalmente o discurso propagado pela empresa de que a Cagece pretende se tornar uma das três melhores companhias de saneamento do País.
Será que os avaliadores do PNQS sabem disso?