Campanha salarial: Cagece propõe INPC para todas as cláusulas financeiras. Sindiagua cobra avanço e empresa levará novamente a questão ao Conselho de Administração

247

Em reunião com o presidente da Cagece, Neuri Freitas, realizada nesta segunda (03), a direção do Sindiagua cobrou melhorias na proposta apresentada pela empresa na última rodada de negociação. Em relação ao reajuste salarial, Neuri informou que não poderia avançar mais porque dependeria de uma nova decisão do Conselho de Administração da Companhia e manteve a proposta de reajuste salarial em 3,83%, que corresponde ao INPC. Em relação ao vale alimentação, que havia recebido inicialmente uma proposta de reajuste de 3,42%, após insistência do Sindiagua, o presidente da Cagece também propôs chegar aos 3,83%.

O mesmo percentual foi proposto para cláusulas financeiras que até então estavam sem nenhuma proposta de reajuste. São elas: Gratificação de condução de veículos, Auxílio Moradia e Indenização por utilização de veículos.

A direção do Sindiagua insistiu que a proposta fosse reavaliada para que os(as) trabalhadores(as) possam se sentir mais valorizados. A entidade lembrou que a categoria precisa ter reconhecimento dentro do extenso rol de investimentos da empresa. Neuri concordou em rediscutir a proposta apresentada na próxima reunião do Conselho de Administração, que deve acontecer entre os dias 10 e 11 de julho.

Vários outros itens da pauta de reivindicações foram discutidos e o Sindiagua conseguiu avançar em alguns deles:

  • Regulamentação do trabalho em formato home-office – Cagece se comprometeu em apresentar proposta de regulamentação até setembro deste ano.
  • Jornada para pais/mães de filhos portadores de necessidades especiais – A Cagece acatou reivindicação da categoria e do Sindicato, concordando em dar direito ao funcionário(a) de ter afastamento do trabalho, escolhendo entre uma das seguintes opções: duas horas diárias ou dois turnos de quatro horas por semana ou um dia na semana
  • Titulação – a cláusula de Incentivo ao desenvolvimento educacional (Titulação) previa que cursos sequenciais com duração inferior a 2,5 anos de duração não seriam aceitos. Após a discussão com o Sindiagua, o presidente da Cagece acatou a reivindicação de estender a cláusula a cursos com duração superior a 1600h/a e 400 dias letivos (aproximadamente 1,1 ano).
  • PR – A Cagece ouviu o Sindiagua e concordou em levar também para o Conselho de Administração a reivindicação que torna igualitário o valor adicional a ser pago aos trabalhadores(as) caso os indicadores de cobertura de esgoto, margem EBTIDA e Lucro líquido sejam superados em 10 %. Atualmente, o pagamento é efetuado de forma diferenciada, de acordo com o cargo do(a) colaborador(a).

Após a reunião da Cagece com o Conselho de Administração, o Sindiagua solicitará uma nova rodada de negociação com a direção da Companhia. O Sindicato informará a categoria os próximos passos da campanha salarial. “Como sempre fizemos, vamos buscar ao máximo melhorias para a categoria, valorizando o diálogo”, reforça Jadson Sarto, presidente do Sindiagua.