Campanha Salarial – Cagece: aprovada proposta de acordo coletivo

47

Na foto ao lado, primeira tentativa de votação: acima os que votaram a favor da proposta da Cagece e abaixo os que votaram contra.

Os trabalhadores e trabalhadoras aprovaram, em assembleia geral realizada no dia 07/07, a proposta de acordo coletivo da Cagece, finalizando uma das campanhas mais longas dos últimos anos. A votação não teve ampla maioria: dos 350 votantes, 177 foram a favor da proposta e 148 foram contrários (25 não apresentaram seu voto).
Antes de se chegar a esse resultado, a votação passou por algumas etapas, conduzidas pelo presidente do Sindiagua, Jadson Sarto, que também presidiu a assembleia. Primeiro foram apresentados os detalhes da proposta da empresa, para, logo em seguida, abrir o microfone aos trabalhadores(as) que se posicionaram livremente, contra ou a favor, sem qualquer limite de tempo. Finalizados todos os pronunciamentos, teve início a votação, quando foi pedido para que os trabalhadores levantassem o crachá (primeiro a favor, depois contra a proposta e, por fim, as abstenções). Como não foi possível identificar uma maioria por contraste visual, foi proposto (e acatado por todos os presentes) que os trabalhadores se separassem em dois grupos (contra e a favor), ficando um de cada lado da Praça. Ainda assim, não houve consenso sobre qual posicionamento era majoritário. Por fim, foi proposto pelo presidente do Sindiagua que os crachás fossem contados um a um. A plenária também concordou com a proposta e duas mesas foram disponibilizadas para que fossem depositados os crachás, sendo uma mesa para os votos favoráveis à proposta e outra para os votos contrários. A contagem foi feita abertamente, acompanhada de perto por quem quis e aferida por representantes de cada grupo. Após a contagem, foi anunciado o resultado final (177 foram a favor da proposta e 148 foram contrários). Foi feita ainda uma checagem na lista de credenciamento, onde foram contabilizados 350 credenciados, o que revelou a existência de 25 trabalhadores que se abstiveram de votar.
“Foi uma assembleia democrática e transparente. Foi dado espaço para todos que quiseram se posicionar e procuramos fazer uma votação o mais aberta, livre e transparente possível. Considero que foi um processo participativo, que fortalece a cultura democrática da categoria. Temos consciência de que uma boa parte dos trabalhadores não ficou plenamente satisfeita com a proposta da empresa. Isso serve de recado para a direção da Cagece, que precisa ser mais justa com as demandas da categoria. Os pontos de insatisfação serão trabalhados permanentemente e incansavelmente pelo Sindicato para que possam ser sanados, inclusive judicialmente. Esse é o nosso papel e a Cagece precisa abrir o olho”, avalia Jadson. 
A direção do Sindiagua espera agora da Cagece a minuta do texto final do Acordo Coletivo que será discutido e revisado junto com a assessoria jurídica da entidade, antes de ser homologado. O Sindiagua lembra que o pagamento das diferenças de todos os reajustes será efetuado com retroativo a 1º de maio (data-base da categoria)


RESUMO DO ACT 2017/2018 APROVADO PELA CATEGORIA

  • Reajuste salarial: INPC (3,99%).
  • Auxílio-educação: reajustado pelo INPC, com aumento também da idade do filho beneficiado de 15 para 16 anos.
  • Gratificação de condução de veículos: reajustado pelo INPC
  • Quilometragem: reajustado pelo INPC (3,99%).
  • Vale-alimentação e vale-lanche: INPC (3,99%) + 1%.
  • Promoção para o nível 2: a todos os empregados que completarem 4 anos de contrato.
  • 12x36h: Sobre a implantação da jornada de trabalho 12×36 horas para o grupo de trabalhadores que atuam em locais específicos da empresa, haverá um prazo de negociação entre a Cagece, o Sindicato e os trabalhadores que se encontram nessa situação para saber em que condições se dará a adesão à nova escala.