Demandas dos trabalhadores da SAAEC são discutidas em reunião na sede do Sindiagua

66

A convite da direção do Sindiagua, representantes sindicais e da categoria na SAAEC participaram na última terça (15) de uma reunião na sede da entidade para debater demandas dos trabalhadores da autarquia. É a segunda reunião presencial com representantes do interior do Estado em menos de uma semana. No dia 8 de fevereiro o Sindicato debateu, também na sede da entidade, o PCCR dos trabalhadores do SAAE de Jaguaribe com representantes da categoria e autarquia.
“Aos poucos, o Sindiagua está voltando à normalidade de sua rotina de atividades presenciais junto à base. É a terceira vez, em meio a uma grave pandemia, que o Sindicato busca retomar o ritmo de reuniões presenciais com trabalhadores(as). Em outras tentativas, após a primeira e segunda onda, aconteceram contaminações em diretores e funcionários e há sempre o temor de espalhar o vírus e colocar em risco a vida dos companheiros(as) e seus familiares. Por isso precisamos manter todos os cuidados possíveis”, destaca Jadson Sarto, presidente do Sindiagua.
Entre os pontos debatidos na reunião com trabalhadores da SAAEC está a campanha salarial de 2022. A pauta de reivindicações está sendo elaborada para ser aprovada pela categoria e apresentada à direção da SAAEC.
O Sindiagua disponibilizou sua assessoria jurídica para prestar apoio na campanha. Caso haja necessidade, integrantes da direção do Sindicato poderão viajar ao Crato para participar nas reuniões de negociação.
Campanhas salariais no interior – além da SAAEC, tiveram início os preparativos de outras campanhas salariais no interior do Estado, a exemplo de Sobral e Morada Nova. Nestes dois últimos municípios, os trabalhadores dos SAAEs vão realizar suas assembleias de aprovação da pauta de reivindicações nesta semana. Já em Iguatu a pauta foi aprovada e protocolada junto ao SAAE. A direção do Sindiagua está prestando todo o apoio necessário.
Risco de privatização avança no interior – outro ponto bastante discutido com os representantes sindicais do Crato foi a realização do leilão de esgotamento sanitário na cidade. Na última sexta (11) a empresa Agea Saneamento venceu o leilão e assinará um contrato de 35 anos com a prefeitura, executando serviços de coleta e tratamento da rede de esgoto.
O leilão já é uma repercussão da Lei 14.026/20 aprovada no Governo Bolsonaro que alterou o marco legal do saneamento, permitindo que empresas privadas possam assumir com mais facilidade o setor. “Essa lei privatista teve origem no Governo Temer e foi aprovada pelo (des)governo Bolsonaro. Não faltou luta do Sindiagua e de várias entidades de classe de todo o País. Participamos de mobilizações e audiências em Brasília várias vezes nos últimos quatro anos, inclusive no final do ano passado, quando fomos à instância máxima, o STF, pra tentar impedir a aplicação da lei”, relembra Jadson Sarto, presidente do Sindiagua. Em novembro de 2021, Jadson, juntamente com o deputado federal Dênis Bezerra (PSB/CE), se reuniu com Ministro e presidente do Supremo Luiz Fux, quando apresentou os impactos negativos da Lei 14.026/20 e os pontos que são considerados inconstitucionais.
O Sindiagua está analisando juridicamente o que é possível fazer em relação às parcerias firmadas com a iniciativa privada no Ceará a fim de impedir que o setor de saneamento seja entregue ao capital privado.