Reivindicações da categoria são discutidas na MENP

14

Sindiagua e Cagece discutiram reivindicações da categoria em reunião da MENP realizada no dia 3 de outubro, na sede da companhia. Confira um resumo de cada item debatido.
BIPAP – Sindiagua cobrou uma resposta da Cagece sobre a disponibilização do aparelho BIPAP aos funcionários portadores de apnéia grave do sono, conforme prevê o parágrafo 4º da cláusula 21a do ACT 2013/2014. A Cagece informou que encaminhará processo à Proju onde será analisado pela empresa o aspecto jurídico com relação a aquisição e doação do equipamento. Em até 10 dias a Companhia dará uma resposta.
PCR – O contrato com a empresa Publix foi assinado e a 1ª reunião com a empresa foi realizada. Em novembro terá início o levantamento do processo de gestão de pessoas. A empresa informou que a previsão é concluir o trabalho em abril de 2014. O Sindiagua cobrou a participação da entidade na elaboração do plano e o cumprimento do prazo estabelecido no ACT.
PRSP –  A comissão criada pela Cagece está fazendo estudo sobre a situação dos funcionários que perderam o prazo para aderirem ao plano. As propostas de aperfeiçoamento do plano foram apresentadas e o estudo será debatido em reunião de diretoria que será realizada nesta semana. A direção do Sindiagua alertou que, conforme cláusula 35a constante no Acordo Coletivo, o prazo para finalizar proposta termina em 17 de outubro.
Auxílio Creche/Educação – O Sindiagua questionou a necessidade de funcionários(as) com guarda judicial provisória terem que informar mensalmente à Cagece se continuam com guarda para continuarem recebendo o benefício. A empresa afirmou que precisa ter um mecanismo de controle para averiguar se a guarda do filho(a) continua nas mãos do funcionário(a) da empresa. O Sindiagua sugeriu que a exigência seja trimestral. A GEPES ficou de analisar a proposta com o setor jurídico.
Vale Transporte – A direção do Sindiagua informou que três trabalhadores que utilizavam as linhas de ônibus antigamente cedidas pela Companhia (Maranguape-Fortaleza, Pacatuba-Fortaleza e Acarape-Fortaleza) continuam a ter descontado 6% do valor relativo ao vale-transporte, ferindo o Acordo Coletivo. Estes trabalhadores ganharam a isenção dos 6% no valor do vale-transporte quando a empresa aboliu o uso dos ônibus para transportar os empregados. A Cagece informou que, por limitações do sistema de informática na Getic, não está sendo possível fornecer os vales sem o desconto, mas se compromete a ressarcir os trabalhadores prejudicados assim que o problema for solucionado. A direção do Sindiagua acertou com a Companhia que a regra da isenção dos 6% valerá para os novos empregados aprovados no concurso público.
PLANO DE SAÚDE PARA NOVATOS – Os dependentes que não forem inscritos no plano de saúde pelo empregado novato em até trinta dias após ter sido contratado, perderão a carência do benefício, conforme determina a ANS (Agência Nacional de Saúde). Diante disso, a direção do Sindiagua solicitou que a Cagece inclua dentro deste prazo de 30 dias os pais dos novos funcionários como dependentes. ‘‘Existem funcionário novatos que nunca declararam Imposto de Renda (IR) e que, por isso, não podem comprovar que os pais (isentos do Imposto de Renda) são dependentes. A próxima declaração do IR será somente em abril de 2014. A Cagece poderia se antecipar para os pais dos trabalhadores não serem prejudicados com a perda da carência do plano de saúde’’, defendeu Jadson Sarto. A empresa ficou de dar uma resposta.